Café #SímbolodaAmizade, o bom é compartilhar!

PARTICIPE

Compartilhe uma história que você participou ou ouviu em um momento de café

Envie para sabordahistoria@gmail.com

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Fator Fundamental na História do Café



Lembrando a importância das ferrovias para o café, vamos conhecer um pouco da história através de um documentário: "Especial TV Cultura: Ferroviários".

1864 é criado no estado de São Paulo, em Capinas a 1ª empresa privada do setor, a Companhia Paulista de Estrada de Ferro, 100% capital nacional. A intenção era escoar toda produção de café da região de Campinas até o porto de Santos, viagem essa que feita no lombo dos burros demorava até 4 meses. Fazendeiros tiravam do próprio bolso para a construção das ferrovias, viu nos trens um meio acessível e lucrativo de transportar o café.
Rio Claro foi a capital da ferrovia, chegou ao ponto de em 1876 a Cª Paulista construiu uma oficina na cidade.
São Paulo era o maior produtor de café, os números de pessoas que chegavam e partiam todos os dias nos 78 trens que circulavão impressionava. Além de escoar produção local, a ferrovia trouxe muito desenvolvimento, através das tecnologias, pessoas e abtos. A Companhia ficou conhecida por seu alto padrão, os carros tinham madeiras nobres, louça fina, gente elegante e importante.
Chefe de trem, foi uma função respeitada, até pelos empresários da empresa que os davam razão.
Novamente em 1922 a Companhia Paulista sai na frente, foi a 1ª empresa a tornar todas as suas linhas em elétricas. A Qualidade, atendimento era pontual marca da companhia. O máximo conforto e pontualidade eram tanto que as pessoas acertavão seus relógios com a chegada das máquinas.
Após tanto desenvolvimento no governo de Juscelino Kubitschek, os trens começaram a perder forças, apesar da compra de máquinas a diesel, pesquisadores apontam que a administração federal se esqueceu da principal parte da ferrovia, o fator humano, surge o apoio na insdustria automobilistica, apartir dai problemas começaram a serem frequêntes na companhia, que foi estatizada. Em 1971 foi incorporada a FEPASA. Desse ponto para sua completa paralisação, foi na velocidade dos aviões sobre rodas com eram conhecidos os trens Húngaros. Em 17 de junho 1980 os trens tinham sua última parada em Campinas, deixando de ir até Rio Claro.

Você pode ver o vídeo dessa importante série em:
http://www.oestedeminas.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário